Carregando...
Você está aqui:  Home  >  Plantão  >  Notícia

Polícia Civil e Brigada Militar prendem autores do duplo assassinato dos trilheiros

Por   /   15 de Janeiro de 2018  /   Nenhum Comentário

Policiais envolvido na operação apresentaram os suspeitos. Um deles confessou ter sido o autor dos disparos

Na manhã de hoje (15), a Brigada Militar e a Polícia Civil de Carazinho realizaram uma operação no Bairro São Lucas, onde prenderam os dois autores do roubo seguido de morte, que vitimou dois jovens de Não-Me-Toque, no último sábado (13), quando estavam fazendo trilha de motocicleta no parque Municipal João Xavier da Cruz de Carazinho.

O trabalho para chegar a autoria do  crime bárbaro iniciou ainda na tarde do fato, intensificando no domingo, quando os policiais militares e civis, por meios de informações e diversas diligências, no final da tarde de ontem (domingo) identificaram os autores, que culminou com a representação pela prisão temporária dos dois indivíduos e por pedidos de mandos de busca e apreensões. O crime vem sendo tratado como latrocínio.

Com a autorização judicial, que decretou as duas prisões, bem como dez mandados de busca e apreensão, os policiais prenderam os autores e apreenderam a arma utilizada no crime – um revólver, uma garrucha calibre 28, os capacetes, luvas e mochilas com ferramentas das vítimas. Também foi apreendido um fuzil calibre 7.62 com um terceiro indivíduo (preso em flagrante) que, a princípio, não tem vinculação com o latrocínio. Também foi recuperada a motocicleta roubada da vítima sobrevivente. Na casa onde foram detidos os acusados, ainda foi apreendido um veículo Belina, cujo motorista teria levado os autores até o local dos crimes.

O Capitão da MB Juliano Moura e a Delegada Heládia Cazarotto, que coordenaram a operação, afirmam que os órgãos se segurança pública foram ágeis e tiveram êxito graças ao trabalho integrado de inteligência e operacionalidade das duas Instituições.

A operação contou ao todo com 35 policiais, sendo 16 militares e 19 civis: Policiais Militares da BM, P2, POE de Carazinho e BOE de Passo Fundo; Policiais Civis da 28ª DPRI, SIPAC/DPRI, DP, DPPA, DPCA Carazinho, DP Não-Me-Toque, DP Victor Graeff e DP Sarandi, com o apoio de Policiais Civis de Passo Fundo.

Crime ocorreu no Parque Municipal João Xavier da Cruz de Carazinho e o bairro São Lucas, onde foram presos os dois acusados, localiza-se em frente à Rotoplastic, tem acesso pela BR 386

O crime

Alexandre Cristiano Soder (28) e Carlos Henrique Hoppen (25) foram mortos por ladrões enquanto praticava trilha em Carazinho. Os crimes ocorreram no sábado (13) à tarde.

De acordo com informações da Brigada Militar (BM) e Polícia Civil, três jovens de Não-Me-Toque faziam trilha de moto em uma estrada próximo ao Parque da Cidade. Eles foram rendidos por dois indivíduos e obrigados a entregar as motos. Um dos indivíduos estava armado.

As duas vítimas fatais teriam reagido e sido baleadas. O terceiro rapaz, ao ver os amigos serem alvejados, fugiu correndo pelo mato e procurou socorro, conseguindo acionar a Brigada Militar.

Os ladrões escaparam levando uma das motos, uma Yamaha CRF 230, que pertencente ao rapaz que fugiu e cuja identidade foi protegida para ajudar nas investigações.

Na polícia trata o caso como latrocínio (roubo seguido de morte).

 

As vítimas

Henrique Hoppen

Carlos Henrique Hoppen era filha de Antônio Carlos Hoppen e Salete Cardoso, Larissa Schenna era sua companheira. Trabalhava na indústria Roster. O corpo foi velado no pavilhão da Comunidade São Cristóvão, do bairro Industrial de Não-Me-Toque e seguir para sepultamento no cemitério Evangélico de Lagoa dos Três Cantos, na tarde de domingo (14 de janeiro).

Alexandre Soder

Alexandre Cristiano Soder era casado com Suelen Matte, pai de Helena e Heloísa. Seus pais: Darci Soder (já falecido) e Terezinha Ribeiro Soder. Trabalhava na indústria Grazmec. O corpo foi velado no pavilhão da Comunidade São Cristóvão do Bairro Industrial, e sepultado no domingo, (14), às 18j, no Cemitério Evangélico de Não-Me-Toque.

Com forte laços de amizades na comunidade, desfrutavam de amplo círculo de amigos, motivos que levaram uma multidão a acompanhar os atos de despedida.

Os grupos de trilheiros e de motociclistas solidários de Carazinho e Não-Me-Toque se uniram para uma manifestação pedindo justiça e também para a despedida.

Desde o momento do anúncio dos crimes, são centenas de manifestações nas redes sociais. O perfil de Henrique e de Cristiano conta com muitas mensagens lamentando que tenham sido a vítima de mais um ato de violência.

Multidão a acompanhou atos de despedida

Polícia encontrou a moto coberta por galhos, ainda no parque

Armas e roupas apreendidas

FONTES

28ª Delegacia de Polícia Regional do Interior-28ªDPRI/Carazinho/RS

Diário da Manhã Carazinho

Comentários

Comentários

    Imprimir       Email